Em 1763, a transferência da Capital do Brasil, para a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, provocou a necessidade de serem reforçadas as defesas da Baía de Guanabara, através de Fortificações de Artilharia.Em 1908, foi iniciada a instalação do Forte na Ponta da Igrejinha, no promontório que separa as praias hoje conhecidas como Ipanema e Copacabana. Ocupando uma área de cerca de 114.000 m2, o Forte de Copacabana foi inaugurando em 28 de setembro de 1914, pelo então Presidente da República Marechal Hermes da Fonseca.

Sua construção em forma de casamata foi um desafio à engenharia militar. As paredes externas voltadas para o mar, de 12m de espessura, acolhe os canhões alemães Krupp (305mm, 190mm e 75mm) assentados em cúpulas encoraçadas e giratórias. Vinda de laguna, Santa Catarina, a 6ª Bateria Independente de Artilharia de Posição, instalou-se no Forte de Copacabana iniciando a História da, á época, mais moderna praça de guerra da América Latina. O Forte de Copacabana foi palco do mais dramático acontecimento do Movimento Tenentista, que passou à História como a "Epopéia dos 18 do Forte", ocorrida em 05 de julho de 1922.

Costruito nel 1914, allo scopo di rinforzare la difesa della Baia di Guanabara, il Forte di Copacabana è stato il palcoscenico del Movimento Tenentista (dei Tenenti) del 1922. Offre ai suoi visitatori molte curiosità storiche e anche una piccola filiale della famosa Pasticceria Colombo oltre alle armi, oggetti e pannelli che formano il Museo Storico dell’Esercito.

Built in 1914, with the purpose of reinforcing Guanabara Bay’s defences, the Copacabana Fortress was the scenario for the “Lieutenants’ Movement” (an political upheaval in Brazilian history) in 1922. It offers visitors many historical curios and also a branch of the famous Colombo Confectioners. Its collections of guns, varied military and historical objects and panels are part of the Brazilian Army’s Historical Museum.