Criado em 1948, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM RJ – ocupou inicialmente as dependências do Banco Boavista, instituição bancária na Candelária. Em 1952, foi transferido para os pilotis do atual Palácio Capanema, então Ministério da Educação e Cultura. Ao inaugurar esta segunda sede provisória, foram expostas obras premiadas na 1ª Bienal de São Paulo (que ocorrerá em 1951), juntamente com outras obras de diversos artistas brasileiros.

Em 1951, iniciou-se a construção da sede definitiva, em terreno doado pelo Governo do Distrito Federal: 40 mil metros quadrados destinados ao prédio e aos jardins, à beira mar. Certamente, uma das paisagens mais espetaculares do mundo, situada ao fundo da enseada da Glória. O risco ficou a cargo de Afonso Eduardo Reidy, e o projeto dos jardins foi confiado a Roberto Burle Marx.

O MAM RJ tem sido um centro de difusão cultural por onde passaram as principais tendências da arte moderna e contemporânea no país, e teve um papel decisivo na formação de mais de uma geração de artistas brasileiros.

La conquista del premio della Biennale di São Paulo in 1951 insieme dai vari artisti brasiliani. Questa costruzione rappresenta un contrassegno architettonico, che è il risultato del disegno dall'architetto Affonso Eduardo Reidy ed il progetto di paesaggio di Burle Marx. Inaugurato nel 1958, il Museo d'Arte Moderna ha una storia molto particolare.

Il Museo ha una collezione di circa 11.000 oggetti con sculture e dipinti di fama internazionale, nonché artisti brasiliani come Bruno Giorgi, Maria Martins, Di Cavalcanti e anche rappresentanti della neo-arte concreta, come Lygia Clark, Helio Oiticica, Franz Weissman, Amilcar de Castro e Wyllis de Castro.

Conceived in 1948, the institution occupied the annex of the Boavista Bank in the Candelaria district and in 1952, was transferred to the area supported by stilts of the present Gustavo Capanema Palace, then Ministry of Education and Culture. On this second site, the first great Museum of Modern Art exhibition was held with prize winning works fromthe 1st São Paulo Biennial in 1951 together with works by various Brazilian artists. In 1958, its final transference to the Flamengo Aterro marked the beginning of a course to encourage the production of modern artistry.

This construction represents an architectural mark, which is the result of the design by architect Affonso Eduardo Reidy and the landscape project of Burle Marx. Since August, 1990, when it returned to its normal activities following a fire which occurred in 1978, the Museum has been presenting great national as well as international exhibitions. At present, the Museum has a collection of about 11.000 objects with sculptures and paintings by internationally renowned as well as Brazilian artists such as Bruno Giorgi, Maria Martins, Di Cavalcanti and also representatives of neo-concrete art such as Lygia Clark, Helio Oiticica, Franz Weissman, Amilcar de Castro and Wyllis de Castro.