Em 1962, Castro Maya criou a Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya, tendo como sede sua antiga residência no Alto da Boa Vista, aberta ao público, em 1964, como Museu do Açude. Em 1968, doou à Fundação sua residência de Santa Teresa – Chácara do Céu – com todo seu acervo histórico-artístico, visando a criação de outro museu. Em 1983, a Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya foi incorporada pelo Governo Federal.

O tombamento dos prédios ocorreu em 23/09/1974, a saber: Livro das Belas Artes, inscrição nº 520; Livro Histórico, inscrição nº 450; Livro Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, inscrição nº 66. Os bens culturais que constituem as coleções dos Museus Castro Maya tiveram sua origem na doação ao público, pelo benemérito industrial Raymundo Ottoni de Castro Maya, da propriedade situada à Estrada do Açude, 764, Alto da Boa Vista, com todo seu acervo artístico, histórico e paisagístico, e da propriedade Chácara do Céu, à rua Murtinho Nobre, 93, Sta. Teresa, incluindo também todo o acervo e, ainda, uma biblioteca de obras raras.

O acervo dos Museus Castro Maya reúne obras de: Aquarela, Cartografia, Cerâmica, Cristais e Vidraria, Desenho, Equipamento Arquitetônico e Urbano, Escultura, Gravura, Guache, Imaginária, Luminária, Mobiliário, Numismática, Peças Hidráulicas, Pintura, Prataria, Têxteis, entre outras categorias.

Situato in una zona di 150,000m2 del taglio atlantico della foresta pluviale da 7.5 chilometri delle tracce di escursione munite di segnaletica e circondato dai giardini belli con le installazioni portoghesi ornamentali della ceramica dagli artisti contemporanei brasiliani, quali Iole de Freitas, Anna Maria Maiolino e Helio Oiticica. La costruzione principale alloggia una importante dell'accumulazione di vita dei secoli di XVII-XIX, alla mobilia coloniale brasiliana ed a quella delle collezioni più significative di arte orientale in un'istituzione pubblica brasiliana, con gli esempi della scultura cinese ed indiana, della porcellana di East India Company e della ceramica orientale.

Located in an area of 150,000m2 of Atlantic Rainforest cut by 7,5 kilometers of signposted hiking trails and surrounded by lovely gardens with ornamental Portuguese ceramics Installations by Brazilian contemporary artists, such as Iole de Freitas, Anna Maria Maiolino and Helio Oiticica can also be seen in the Museum’park. The main building houses a major Portuguese life collection dating back to the XVII-XIX centuries, Brazilian colonial furniture and one of the most significant collections of oriental art in a Brazilian public institution, with examples of Chinese and Indian sculpture, East India Company porcelain and oriental ceramics.