Possui mais de 350.000 volumes em seu acervo bibliográfico, reunindo obras raras dos séculos XVI, XVII, XVIII. Em 1880, ao comemorar-se o tricentenário da morte de Camões foi lançada por D. Pedro II a pedra fundamental do Real Gabinete Português de Leitura na antiga rua da Lampadosa que passou a chamar-se desde então Luiz de Camões.

O projeto neomanuelino do arquiteto português Rafael da Silva e Castro reverencia o estilo das construções tardo-medievais lusitanas da época dos grandes descobrimentos marítimos. Inaugurado em 1887, o edifício de dois andares é a primeira construção de estrutura metálica da cidade. Sua fachada é ornamentada, entre outras, por esculturas de Simões de Almeida que representam o infante de Sagres, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral e Luiz de Camões, todos personagens do grande século dos descobrimentos.

No interior do prédio, destaca-se o majestoso salão de leitura contornado por galerias e coberto pela magnífica clarabóia de vidro colorido, tudo apoiado em colunatas de ferro. No segundo andar é digna de menção a Sala dos Brasões, ornada dos escudos de 36 cidades portuguesas e de ultramar. grande século dos descobrimentos.

Real Gabinete Português de Leitura è la più grande e di maggior valore letterario del portoghese al di fuori del Portogallo. Costruito tra il 1880 e il 1887, ha più di 350.000 volumi della biblioteca, completamente computerizzato, che riunisce libri rari dal XVI, XVII e XVIII.

La biblioteca riceve una copia del Portogallo per ciascuna delle opere pubblicate nel paese in base al suo stato di "deposito legale". L'attuale edificio della sede centrale ha il neo que stile manuelino evoca il esuberante gotico-rinascimentale, al momento delle scoperte portoghesi.

La facciata, dal ispirato il Monastero di Jeronimos a Lisbona, è stato scolpito in pietra calcarea a Lisbona ed espresso in nave a Rio. Le statue e medaglioni scolpiti in entrata ritraggono distinto portoghese, tra cui Pedro Alvares Cabral, Luis de Camoes e Vasco da Gama, il i guardiani eterni della conoscenza umana.

The Royal Portuguese Reading Room has the largest and most valuable literary of Portuguese outside Portugal. Constructed between 1880 and 1887, it has more than 350,000 volumes in a library, fully computerized, which brings together rare books from the XVI, XVII and XVIII.

The library receives a copy of Portugal for each of the works published in the country according to its status of “legal deposit”. The current headquarters building has the neomanuelino style that evokes the exuberant Gothic-Renaissance at the time of the Portuguese Discoveries.

The facade, inspired by the Jeronimos Monastery in Lisbon, was carved in limestone in Lisbon and brought by ship to Rio. The statues and medallions sculptured in the entrance portray distinguished Portuguese, including Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões and Vasco da Gama, as the eternal guardians of the human knowledge.